quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Planos

Entonces, eu estava pensando em fazer um podcast, que são aqueles arquivos de som, para quem não sabe. Ao invés de escrever um texto, vou improvisar alguma idéia na frente do microfone. Será que fica bom? Não faz muito sentido, eu sei, mas é só pra dar uma dinâmica nova ao blog. Uma vez ou outra ter alguma coisa sonora, e tal.

***

Na dificuldade de encontrar alguma coisa do Aristófanes e do Rabelais nas bibliotecas públicas vou começar as minhas férias com a leitura de um livro do século XX, As brasas, do escritor eslovaco Sándor Márai. O livro é pequeno, e, pelas recomendações entusiasmadas que recebi, devo terminar em breve. Publico aqui o que achei, depois. Também comecei a ler hoje o recém-lançado Uma história da poesia brasileira, do Alexei Bueno. Expectativas grandes também. Pretendo que as férias sejam marcadas, em termos de literatura, não só pela leitura dos clássicos (em especial Aristófanes, Virgílio, Horácio e Rabelais), mas também uma grande revisão da poesia brasileira. Veremos o tamanho do abismo entre o dizer e o fazer.

13 comentários:

Srta. Jones disse...

Esse blog vai acabar daqui a algum tempo. Pouco tempo. Ele é fruto de uma contingência.


Andre Bittencourt, agosto de 2007.


Entonces, eu estava pensando em fazer um podcast, que são aqueles arquivos de som, para quem não sabe. (...) é só pra dar uma dinâmica nova ao blog. Uma vez ou outra ter alguma coisa sonora, e tal.

Andre Bittencourt, dezembro de 2007.


Tomou gosto pelo negócio, hein... rs. Veja bem, não estou reclamando nem nada (vai ser divertido ouvir seus podcasts, eu aposto) mas, para quem acreditava que este blog teria vida curta, você está indo bem longe. Pena que eu não consiga dar tanta atenção ao meu próprio blog. Ele está abandonado, coitado. Ontem ensaiei postar uma poesia (!) mas não consegui escrever os últimos versos. Ironia das ironias, estava escrevendo sobre bloqueio criativo. ¬¬

Ticous disse...

Você lendo algo que foi escrito há menos de um século?!?! Perdeu totalmente o meu respeito...

E Srta. Jones: nada pessoal, mas acho que já se escreveu tudo que é possível sobre bloqueios criativos. É um dos grandes clichês. Isso só deve dificultar ainda mais as coisas. Ainda bem que as maiores coisas que eu escrevo na minha vida, são esses comentários toscos aqui.

Srta. Jones disse...

^Mas o bloqueio criativo era só o gatilho. Eu não ia fazer uma ode ao papel em branco, só partiria do conceito do bloqueio para falar, na verdade, sobre a criatividade. Coisa que tem me faltado ultimamente, aliás.

m disse...

Sim!!! Queremos podcasts!

Sobre bloqueio criativo, considero tentar escrever sobre isso um exercício de desbloqueio que não precisa - e muitas vezes não merece - ser publicizado. Não seria melhor registrar os resultados da próxima onda criativa?

Proponho um tópico entre os frqüentadores deste espaço virtual: além de ir à academia, Andre está de barba (!!!) e cabelos rebeldes (!) -> galã intelectual; último nível de descaso com a própria aparência ou cedendo às pressões do IFCS?

What next?! He`s gonna lose the glasses and get a tan??? (scary thought)

Clarissa disse...

hahahahaha eu não pretendia falar nada, mas dps desse comentário M, vou ter que tornar público 2 de nossos tópicos de conversa ontem no carro:

I: lentes de contato
II: o grande retorno de andré bittencourt às praias do rio de janeiro

Meaning: seus maiores pesadelos estão à beira de virar realidade!! hahaha Na minha opinião são very healthy thoughts - e engraçados! = ) Go Bittencourt!!!!!!!!

Outra... esperava um comentário, ainda que breve, sobre a sua voltinha no shopping lelbon e sua ótima cia e motorista! HUNF

e o pastel, comeu?
beijinho

Chico disse...

m.: diria q cedendo às pressões do ifcs mesmo! tudo bem, antes tarde do q nunca! ele fica bem de barba, não?!

Srta. Jones disse...

Sobre bloqueio criativo, considero tentar escrever sobre isso um exercício de desbloqueio que não precisa - e muitas vezes não merece - ser publicizado. Não seria melhor registrar os resultados da próxima onda criativa?


Se todo mundo que escreve pensasse assim, não publicaria absolutamente nada. ;)

Eloqüência disse...

Hahaha.
Aderiu a moda dos barbados e cabeludos? E começou a frequentar praia? Isso tá mais pra influência dos colegas de academia! rs
tô brincando! ;)

Eloqüência disse...

Faça um podcast sim!

m disse...

Sobre bloqueio criativo, considero tentar escrever sobre isso um exercício de desbloqueio que não precisa - e muitas vezes não merece - ser publicizado. Não seria melhor registrar os resultados da próxima onda criativa?


Se todo mundo que escreve pensasse assim, não publicaria absolutamente nada. ;)

Provavelmente o mundo teria menos textos imbecis.

Srta. Jones disse...

^E talvez não tivesse nenhuma obra de arte também. Imagine se Clarice Lispector ou Albert Camus detestassem tudo o que escreveram e jogassem tudo fora?

Eu que não sou nem uma nem outro, me contento em escrever quando bate inspiração, sobre aquilo que estiver na minha cabeça no momento. Não se controla instinto criativo - o máximo que se pode fazer é usar do bom senso e separar aquilo que é "bom" daquilo que deve ficar guardado. ;)

Andre disse...

srta. jones: é verdade, isso aqui está durando muito mais do que eu esperava. Depois comento seu texto novo do blog :-)

m: o que são exatamente “cabelos rebeldes”? Em relação à barba, ela só persiste pela minha clássica incapacidade de utilizar uma gilete.

clarissa: claramente orquestrando contra a minha pessoa? Praias do Rio, tremei.
Quanto ao pastel, comi sim. Delícia.

Andre disse...

chico: pressões do minha pele, isso sim, que não quer ser dilacerada.
Depois do seu elogio vou pensar em deixar minha barba crescer mais um pouquinho :-)

eloqüência: respondendo a questão do post passado, infelizmente ainda não consegui fazer amigos na academia. Tenha a ligeira sensação de que falamos idiomas diferentes, mas deve ser só impressão mesmo.
Acho que tive uma idéia pro podcast, vamos ver quando sai.

Ah, sobre o debate que está acontecendo aqui nessa caixa de comentários, me abstenho de participar. Mas quem sabe não escrevo um texto sobre isso?