terça-feira, 20 de novembro de 2007

Música do dia

Argh! Quanta teia de aranha nesse espaço! Mas vou retirando aos poucos esses bichos malditos daqui, prometo.

Vamos devagar, com uma Música do Dia (deveria ser música do mês, né?).

Como disse em algum lugar desse espaço, nunca gostei muito de música, ou pelo menos nunca liguei tanto. Poucas bandas me acompanham desde que eu era criança. Na verdade acho que não existe nenhum conjunto ou cantor que tenha ficado. Chico Buarque, por exemplo, eu ouvi quase tudo, na vitrola da minha avó. Hoje em dia simplesmente não suporto.

Durante uma época da minha adolescência eu ouvi muita música. “Jovens, envelheçam”. Este talvez seja um dos clichês rodriguianos máximos. Mas é verdade. Em música isso faz todo o sentido. O que eu ouvia na adolescência era, em boa parte, uma grande porcaria. Foi uma época ótima, e foi bom ter ouvido tantas coisas ruins e freqüentado tantos lugares insalubres, incluindo dimensões paralelas (não, eu nunca usei drogas).

A maioria das coisas que eu ouvia nessa fase me dá até certa vergonha hoje em dia, e eu realmente nunca mais tive a curiosidade de colocar os cd’s no aparelho de som (até porque eu não tenho aparelho de som). Outras eu ouço bem pouco, apenas por uma certa sensação besta de “volta às origens”, para achar graça do negócio todo. Mas algumas dessas bandas que eu ouvia ficaram. Coisas que eu realmente gosto. Uma delas é essa aí que segue, Fugazi. Na verdade não ouvia há algum tempo, mas tive um lapso mental e voltei a escutar algumas bandas de hardcore.





*Não sei bem o motivo (acho que problema no servidor), mas nem sempre a música está funcionando.

7 comentários:

Ticous disse...

Não negue suas origens de "Punk Xixi"! Lugares totalmente insalubres, universos paralelos, músicas toscas, braços mecânicos, porrada com skinheads... isso sim era vida!
Não há do que sentir vergonha, essa mentalidade jovem-punk ajudou a construir o que você é hoje.
Essa música é bacaninha, mas MxPx é bem mais legal. E Os Thompson é campeão do mundo!

Chico disse...

nunca gostei de punk rock nem hardcore, muito menos de sea food dead! juro! mas q foram bons tempos, foram...

andre disse...

ticous: Eu prefiro Fugazi. Mas são tão diferentes, não? "Punk Xixi", "Lésbica do shopping Tijuca"... Tive tantas facetas no mundo underground... Medo. E aquele dia dos skinheads foi inesquecível. Aliás, acho que foi o mesmo do braço mecânico, não?

chico: Você tinha uma banda só pela pegação, então? Aliás, existe outro motivo para montar uma banda?

andre disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Srta. Jones disse...

Eu não sei não, mas essa coisa de achar ridículo o que se houve na adolescência... a menos que você ouvisse Spice Girls (que, por sinal, estão na moda de novo), não há porque se ter vergonha. Sabes que o próximo passo invariavelmente é começar a ouvir caetano e samba na Lapa e achar que rock é coisa de gente colonizada e imatura que não dá valor à "cultura nacional", ou então se refugiar na música clássica e não dar bola para nenhum compositor com menos de 150 anos.

João Paulo disse...

Herege! A vitrola da sua avó devia ter sérios problemas...

Andre disse...

srta. jones: Urucubaca? Sem Caetano e samba na lapa! Xô! (João, finge que não leu isso, tá?) Aliás, eu não falei em momento algum que ouvia música brasileira. Não ouço isso há anos, no duro. :-)

Agora, algumas coisas que eu ouvia eram realmente tristes. Um cd com 25 músicas e 28 minutos não pode ser boa coisa, por exemplo. Mas muita coisa fica, claro.

joão paulo: vamos fazer o seguinte: você assiste "Gritos e Sussurros" mais uma vez eu eu prometo que tento ouvir Carolina até o final :-)