segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Dá-lhe Montaigne!

Trecho do “plano-piloto para poesia concreta” (1958), de Augusto de Campos, Décio Pignatari e Haroldo de Campos.

poesia concreta: produto de uma evolução crítica de formas dando por encerrado o ciclo histórico do verso (unidade rítmico-formal), a poesia concreta começa por tomar conhecimento do espaço gráfico como agente estrutura. espaço qualificado: estrutura espácio-temporal, em vez de desenvolvimento meramente temporístico-linear, daí a importância da idéia de ideograma, desde o seu sentido geral de sintaxe espacial ou visual, até o seu sentido específico (fenollosa/pound) de método de compor baseado na justaposição direta – analógica, não lógico-discursiva – de elementos. “il faut que notre intelligence s’habitue à comprendre synthético-ideographiquement au lieu de anlytico-discursivement” (apollinaire). eisenstein: ideograma e montagem.

Poesia "beba coca cola" (1957), de Décio Pignatari



Poesia "O ovo" (300 a.C), de Simias de Rodes




Poesia "ovonovelo" (1956), de Augusto de Campos



Dá-lhe Montaigne!

Ensaios, vol. 1, cap. LIV, “Das vãs sutilezas” (aprox. 1580), de Michel de Montaigne:

“Os homens recorrem por vezes a sutilezas fúteis e vãs para atrair nossa atenção. Assim, os que escrevem poemas inteiros em que todos os versos começam pela mesma letra. Na antiga literatura grega deparamos com poemas em forma de ovo, de bola, de asa, de machadinha, obtidos mediante a variação das medidas dos versos que se encurtam ou alongam para, em conjunto, representar tal ou qual imagem (...) É prova irrefutável da fraqueza de nosso julgamento apaixonarmo-nos pelas coisas só porque são raras e inéditas, ou ainda porque apresentam alguma dificuldade, muito embora não sejam nem boas nem úteis em si”.

2 comentários:

Srta. Jones disse...

Hummm... pensei que você fosse terminar com uma poesia concreta de sua autoria. Felizmente você evocou uma voz crítica no final.. rs.

Ticous disse...

Quer dizer então que eu era um poeta concretista (ou concreto? Ou de concreto???) quando tinha 10 anos? Fazia umas coisas bem parecidas nas aulas de artes. Sinceramente, uma ou outra eram até melhores.
Realmente eu não gosto desse lance de arte moderna...