sexta-feira, 14 de março de 2008

Posts censurados (#100)

Esse é o centésimo post do Ritmo Dissoluto. Eu já escrevi vários textos que não publiquei aqui. Ou pensei em assuntos, mas nem me dei ao trabalho passar para o papel (monitor?). Seguem os principais temas não abordados:

- Sexo: ninguém, absolutamente ninguém vai se interessar pelas minhas opiniões sobre sexo. Não é moralismo nem nada, nem questão de preservar alguma intimidade, é só porque não há como haver interesse nisso. Acho o assunto “sexo” muito estimulante, e eu leio alguns ótimos blogs que tratam desse tema, mas se eu escrevesse sobre isso simplesmente não sairia nada de bom.

- Futebol: idem. Que diabos eu tenho pra opinar sobre futebol? Seria só abobrinha.

- Humor negro: Ou você faz humor negão o tempo inteiro ou simplesmente não faz. Se eu chegasse aqui com uma piada ou comentário extremamente cruel e politicamente incorreto, almas delicadas ficariam ofendidíssimas. No mundo do humor não há possibilidade de miscigenação.

- Assuntos acadêmicos: Já basta a faculdade e as minhas leituras e discussões diárias. Esse blog é uma fuga, inclusive de certas coisas que me agradam. Nunca escreveria aqui sobre sociologia ou filosofia (a não ser que me auxilie em algum outro aspecto), simplesmente porque não é o espaço adequado. Qualquer tentativa de “sociologizar” alguma discussão cheiraria a cerveja e azeitonas, ou seja, papo de botequim.

- Posts muito pessoais: Eu já escrevi textos longos e catárticos que achei melhor não publicar aqui. Alguns porque teriam referências tão íntimas que ficariam ininteligíveis, outros porque teriam relação direta com pessoas que lêem o blog (já escrevi textos pensando em muitas pessoas que me lêem), e isso poderia causar incômodos, tanto para mim quanto para elas. Sei que, no fundo, o mais importante é escrever, não publicar (que possui outras vantagens, claro)

- Textos diretos, ofensivos e sem sentido: Aqui vai um exemplo:
Título do post: Moptop (17/12/2007)
"Há um tempo ouço falar dessa banda. Hoje estava, não sei por qual motivo - muito possivelmente por causa da VJ Luísa - assistindo MTV e vi um trecho com eles tocando. Deus, pode uma banda de "rock" ser tão ruim? Como as pessoas gostam disso, como? Lixo, lixo."

Há algum sentido em publicar isso? Não, não há! Mas está lá, salvo na minha conta do Blogger.com.

- Diarinho: Alguns dias eu chego em casa com vontade incontrolável de simplesmente escrever sobre o meu dia, no modelo “Querido diário, hoje acordei tarde, comi macarrão, vi televisão, depois tomei sorvete – e caiu um pouco na minha roupa e na minha cama, o que vai irritar a minha mãe, porque por 'pouco' leia-se um pote inteiro e por 'cama' leia-se computador”, e coisas desse nível.

15 comentários:

Helena Hell disse...

Nossa mandou mal, Moptop é muito bom. Escute direito antes de criticar.

beijos

Pedro disse...

hahahahhahhahahaha
me divertiriam esses textos cesurados, principalmente os do diarinho.
Mas então partiu papos academicos, não só com cheiro de cerveja e azeitonas, mas de fato com elas presentes????

Andre disse...

helena hell: Moptop me pareceu uma espécie de sub-Los Hermanos. E sem a criatividade e o "sincretismo musical" dos barbudos. Não é isso?

pedro: convidou pro bar sabe que eu vou. É quase maldade fazer isso.

Chico disse...

excelente post das "proibidonas do andre"! uahahuhua

Heloisa disse...

Eu não sabia q tinha blog sobre sexo. Talvez Rosely Sayão e aquele mala q falava na MTV. Me envia algum link "dos ótimos" qdo der. Vai q eu tenho alguma opinião pra dar. E, é necessário informar, fiquei curiosa sobre suas opiniões de sexo. Essa foi uma boa tática (heheheheh). Bjs

Ticous disse...

Faço minhas as suas palavras sobre Moptop. Banda de modinha alternativa.

E eu sigo o modelo "com crueldade" de piadas, como você bem sabe. hohohoho

vanessa disse...

eu não conhecia moptop, procurei no youtube logo q li esse post. é uma banda genérica, incrivelmente parecida com muitas outras bandas jovens...
quanto a suas opiniões sobre sexo, acho q provavelmente são mais interessantes do q as normalmente proclamadas por aí. só seria um pouco estranho no inicio pq vc não costuma falar sobre isso

Andre disse...

chico: "proibidonas do Andre" podia ter sido um bom título pro post, hehe.

helô: vou colocar aqui no blog uns sites que eu leio e que abordam o assunto sexo.

ticous: é o meu modelo preferido também. Mas volta e meia escapa um certo politicamente correto aqui. Vou trabalhar nisso.

vanessa: mas as pessoas costumam falar sobre sexo? Acho que não. Uma vez até perguntei isso aqui no blog: por que violência é mais aceitável do que sexo?

m disse...

Bom, depende de que pessoas, algumas amigas minhas falam sobre sexo como comentam sobre o tempo, outras são mais reservadas e só falam sobre questões críticas, ou excelentes. Tenho um muito bom amigo que talvez seja a pessoa com quem mais me sinto à vontade pra conversar sobre isso. Acho que quanto mais se fala sobre um assunto, masi natural e tranqüilo ele se torna, menos tabu. Portanto, estimulo o debate!

Heloisa disse...

Você não fala sobre sexo, mas eu e Antonio falamos e nós chegamos a conclusão que tudo que você (e eu e ele também) merecemos, é ouvir, no ouvidinho, um "te quiero"!

Heloisa disse...

Não liga: eu e antonio descobrimos que temos um tesão em comum e quis compartilhar com vc. Agora, relendo, tô achando muito engraçado (hehehehe).

Andre disse...

helô: mas um "te quiero" bem falado é das melhores coisas que tem. Aliás, deve ser algum negócio com a língua espanhola, tudo nela fica mais sensual, né não?

Heloisa disse...

Foi exatamente esta a nossa conclusão. Mas vc deve saber melhor do que a gente. Além de falar neste tom ultra-afirmativo "é uma das melhores coisas que tem", foi mais longe: eu e Antonio pegando leve, falando em ouvidinho e aí vc mete esta "língua espanhola". Língua + espanhola é muito sexo demais. Hahahahaha

Heloisa disse...

E agora chega de intervenção de Heloisa Helena pq seu blog vai virar um espaço pornográfico (mas vc está intimado a me falar, com todos os detalhes, sobre este "te quiero" e "é uma das melhores coisas que tem").

Andre disse...

helô: eu nem tinha reparado no tom exacerbadamente sexual que meu comentário ganhou. Deve ser algo inconsciente mesmo, referente à época em que línguas, espanholas e línguas espanholas estavam na ordem do dia.